Minuto MS

25º

Três Lagoas/MS

23 de outubro de 2017 segunda
06/10/2017 - 03:10:30

Fibria consolida liderança mundial no mercado de celulose com nova fábrica em Três Lagoas (MS) e foco em exportação

A celulose produzida pela Fibria é exportada para mais de 35 países e matéria-prima para produtos de educação, saúde, higiene e limpeza

Assessoria de Comunicação / Fotos: Divulgação

enfardamento-(14)
A Fibria, empresa brasileira e líder mundial na produção de celulose de eucalipto a partir de florestas plantadas, iniciou as operações da sua segunda fábrica em Três Lagoas (MS) em 23 de agosto, três semanas antes do previsto, e planeja produzir neste ano 377 mil toneladas de celulose, que serão destinadas ao mercado externo. Para 2018, a previsão é de que o volume de produção atinja 1,755 milhão de toneladas de celulose/ano, passando para 1,850 milhão de toneladas de celulose produzidas em 2019.

enfardamento-(126)
A nova fábrica em Três Lagoas tem capacidade de produção de 1,95 milhão de toneladas de celulose de eucalipto por ano, volume previsto para ser alcançado em 2020. Somando a primeira unidade, a empresa passa a ter a capacidade de produção de 3,25 milhões de toneladas de celulose/ano, o que faz da operação da Fibria no Mato Grosso do Sul uma das maiores fábricas de celulose do mundo. No total, somando todas as suas fábricas, a capacidade de produção da Fibria é de 7,25 milhões de toneladas de celulose por ano.

visao_geral-(3)
A construção da segunda linha de produção em Três Lagoas (MS) teve investimento de R$ 7,345 bilhões, o que representa o alto grau de competência da Fibria em execução da obra, gerenciamento de custos, negociação de contratos e ganhos de produtividade.

visao_geral-(5)
“Nesse período de pouco mais de dois anos, concluímos a maior fábrica em linha única da atualidade antes do prazo e abaixo do orçamento proposto, o que evidencia o comprometimento de toda a equipe em ganhar produtividade, reduzir custos e fazer sempre o melhor, com segurança e respeito às pessoas e ao meio ambiente. O início da operação da nossa segunda fábrica em Três Lagoas representa o começo de uma nova fase para a companhia, consolidando a nossa liderança no mercado mundial”, afirma Marcelo Castelli, presidente da Fibria.

Para abastecer suas duas linhas de produção de celulose no Mato Grosso do Sul, a Fibria necessita de uma base de 308 mil hectares de florestas plantadas. Desse total, 121 mil hectares já estão com floresta formada para abastecer a primeira fábrica. Dos 187 mil hectares de florestas de eucalipto necessários para abastecer a segunda linha, 162 mil hectares já foram plantados (equivalente a 87% da área total necessária). As florestas têm um raio médio de até 100 quilômetros de distância das fábricas, o que faz da unidade de Três Lagoas uma das mais competitivas do setor.

“Nosso cronograma de plantio segue o planejado e deverá estar concluído no início do ano que vem. Hoje, a Fibria planta seis árvores por segundo, se destacando no manejo florestal, plantando em mosaico, combinando florestas nativas e eucalipto, respeitando o meio ambiente e a biodiversidade”, diz Aires Galhardo, diretor de Operações da Fibria.

A Fibria buscou soluções diferenciadas e inovou no transporte de madeira da floresta até suas fábricas. A partir de um planejamento estratégico, foi inserido nas operações florestais o transporte via pentatrem. Trata-se de uma composição com cinco carretas interligadas que permite ganho de 70% no volume de madeira transportada em relação aos caminhões tradicionais e redução de 20% no gasto de combustível por metro cúbico transportado, permitindo diminuir também o custo total de transporte de madeira em 20%. Até o mês de dezembro, 15 veículos já estarão operando na região de Três Lagoas (MS) e a expectativa é de 30 veículos em 2018. Esses veículos só circulam em estradas internas da Fibria, reduzindo o tráfego nas rodovias.

Para escoar a celulose produzida na segunda fábrica da Fibria no Mato Grosso do Sul, foi montada uma logística especial. Neste mês de outubro, a Fibria irá finalizar as obras do Terminal Intermodal localizado no município de Aparecida do Taboado (MS). Com isso, a celulose produzida na linha dois será transportada, via rodoviária, por 160 quilômetros até o Terminal Intermodal, de onde será embarcada em linha ferroviária com bitola larga até o Terminal de Macuco, no Porto de Santos (SP), de onde será exportada.

“Seja na fábrica, na floresta, no transporte de madeira ou na logística da celulose, nossa nova linha de produção tem uma série de inovações que já nos transformam em referência mundial. Essa é a fábrica mais moderna e diferenciada em operação atualmente, o que nos dá muito orgulho de toda a equipe”, afirma Júlio Cunha, diretor de Engenharia e Projetos, responsável pela implementação do projeto de expansão da empresa em Três Lagoas (MS).

GERAÇÃO DE EMPREGOS

Com a conclusão da segunda fábrica, a Fibria planeja contratar cerca de 3 mil empregados, entre próprios e terceiros, para atuar na nova operação. Desse contingente, 988 pessoas serão colaboradores próprios, sendo que 144 vão se dedicar à operação industrial e 844 estarão na operação florestal. Para a contratação desses novos profissionais, desenvolvemos, em parceria com o Senai, cursos de capacitação e oferecemos vagas de qualificação profissional aos interessados.

Na operação industrial, foram abertas 100 vagas de qualificação profissional, focado no desenvolvimento de pessoas da comunidade de Três Lagoas. Ao fim do programa, contratamos 63 empregados que se destacaram nas avaliações técnicas e comportamentais. Para as posições que requerem experiência, buscamos profissionais das nossas outras unidades e também no mercado de trabalho. Na operação florestal, a extensão de área de plantio faz com que precisemos de profissionais em Brasilândia, Água Clara e Três Lagoas, as localidades onde vamos operar, sendo que, para atender a essa demanda, abrimos 18 turmas de qualificação profissional. Até dezembro de 2017, teremos os 844 profissionais contratados.

INVESTIMENTOS SOCIAIS

Na Fibria, a sustentabilidade está no eixo do negócio. Por isso, a companhia acredita na geração de riqueza compartilhada, associada à conservação ambiental, à inclusão social e à melhoria da qualidade de vida das pessoas. Com a nova linha de produção em Três Lagoas, a empresa reafirma o compromisso em fomentar o desenvolvimento contínuo das comunidades vizinhas às suas atividades.

Em parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a Fibria investiu R$ 11,7 milhões na ampliação de programas e projetos sociais na região. Esse investimento permitiu um aumento em quase 30% do número de localidades atendidas, entre urbanas e rurais, nos municípios de Três Lagoas, Brasilândia, Selvíria e Água Clara, com quase 40 projetos e mais de 43 mil pessoas beneficiadas diretamente.

As 14 linhas de investimentos nas áreas de desenvolvimento rural local visam o fortalecimento das associações comunitárias e suas redes, geração de renda, acesso à água, saúde, educação de jovens e adultos, cultura e esporte. Essas ações estimulam a capacitação profissional das comunidades e a geração de emprego e renda em atividades complementares, contribuindo para o desenvolvimento local.

Além disso, durante a construção da segunda linha de produção, a empresa investiu R$ 6,2 milhões, por meio do Programa Básico Ambiental (PBA), na compra de equipamentos, veículos, reformas de escolas e centros de saúde, entre outras ações para o município de Três Lagoas (MS). O investimento beneficiou ações que foram apresentadas como prioritárias pela Prefeitura Municipal e o Comitê de Desenvolvimento Sustentável (Codesus) da cidade.

SEGURANÇA

Desde o anúncio da ampliação da Unidade de Três Lagoas da Fibria, em maio de 2015, até o início da operação, em agosto de 2017, mais de 21 mil profissionais, próprios e terceiros, de cerca de 300 diferentes empresas e fornecedores, trabalharam nas obras. A gestão de saúde, segurança e meio ambiente no projeto de expansão obedeceu às mesmas diretrizes da Fibria.

Foram realizadas mais de 1,3 milhão de horas de treinamento visando a garantia da segurança dos profissionais que trabalharam na obra e da qualidade dos serviços prestados. O resultado foi um projeto com baixo índice de acidentes, que se tornou uma nova referência mundial no setor: na Fibria, foram 6,38 acidentes reportáveis para cada milhão de horas-homem-trabalhadas (HHT), contra um índice médio de 7 acidentes para cada milhão de HHT nos Estados Unidos e de 17 acidentes para cada milhão de HHT na Finlândia.

SOBRE A FIBRIA

Líder mundial na produção de celulose de eucalipto, a Fibria é uma empresa que procura atender, de forma sustentável, à crescente demanda global por produtos a partir da floresta plantada. Com capacidade produtiva de 7,25 milhões de toneladas de celulose por ano, a companhia conta com unidades industriais localizadas em Aracruz (ES), Jacareí (SP) e Três Lagoas (MS), além de Eunápolis (BA), onde mantém a Veracel em joint-operation com a Stora Enso. A companhia possui 1,056 milhão de hectares de florestas, sendo 633 mil hectares de florestas plantadas, 364 mil hectares de áreas de preservação e de conservação ambiental e 59 mil hectares destinados a outros usos. A celulose produzida pela Fibria é exportada para mais de 35 países e matéria-prima para produtos de educação, saúde, higiene e limpeza. Saiba mais em www.fibria.com.br

« voltar para home